Letras UFABC

19/09/2012

Da rede pro palco – o grande apartamento de Cícero

Filed under: Dicas,Eventos,Música,Vídeos — Gabriel Kernnuak Farias @ 17:34
Tags: , , ,

Lembro como se fosse ontem: eu tinha um blog dedicado exclusivamente a falar de música e peripécias afins – sim, musicófilo de carteirinha, embora a tenha perdido na beirada de algum palco – quando uma amiga comentou comigo que tinha achado o lançamento mais legal de 2011. Tudo à distância, pela internet. Mais dois cliques e a melodia, crescente, ecoava pelo quarto – e não que isso significasse muita coisa, mas só reforça a imagem de que Cícero Rosa Lins personifica uma geração de artistas que devem à web toda a exposição que tiveram, especialmente no início de suas carreiras.

A rápida popularização do álbum Canções de Apartamento (2011) pode fazer parecer que se trata de mais um sucesso meteórico na música brasileira. Não é bem por aí. Além de DJ, Cícero integrava a banda Alice, fundada em 2003. Em seu background musical constam ecléticas referências: de Gram a Explosions In The Sky passando por The Strokes (Cícero fez um cover de Barely Legal na comemoração de dez anos do debut da banda, promovida pelo Rock’n’Beats), nada foge aos ouvidos do cantor, que imprime suas influências em cada uma de suas composições sem, contudo, deixar de ser original.

Comparações existem – há quem diga que existe um tanto de Los Hermanos em Canções de Apartamento; outros apelam ao velho jargão da nova MPB para descrevê-lo – mas não são suficientes para definir o repertório multifacetado do artista. Entre o açúcar e o adoçante, Cícero segue sendo uma doce descoberta da música contemporânea.

Cícero é uma das atrações do festival Sai da Rede no segundo fim de semana de shows. Você encontra mais informações no site do evento.

SAI DA REDE

Dia 22/09, Sábado, às 16h
Praça do Patriarca, Centro – SP
Grátis

Anúncios

14/09/2012

Da rede pro palco

Filed under: Dicas,Geral,Música — Gabriel Kernnuak Farias @ 22:08
Tags: , , , ,

Neste sábado (15) ocorre o primeiro dia de apresentações da 2ª edição do festival Sai da Rede. Elo de ligação entre a rede e a plateia, o festival tem como objetivo levar ao público em geral artistas que utilizam a internet como principal ferramenta de divulgação e interação com seus admiradores e fãs. O festival tem curadoria de Pedro Seiler e Amanda Menezes e mostra estar alinhado com o contexto da música popular contemporânea. Segue parte do release publicado no site oficial do projeto:

“[Para Amanda Menezes] não é mais possível rotular por gênero musical a produção dos artistas da atualidade. A internet se tornou peça chave na engrenagem da produção musical, da composição à comercialização. A maioria dos artistas desta geração compõe e interpreta seus trabalhos, o que se deve muito às facilidades de gravação. Por isso, há muito interesse por parte do público em conhecer (ao vivo) os trabalhos desses artistas”.

As primeiras bandas a tocar são Bixiga 70 e BaianaSystem. De influências plurais e inovadoras (do afrobeat ao carimbó), as faixas são uma prévia do que esperar para a abertura do evento.

Festival Sai da Rede (2ª edição)
De 15 de setembro a 29 de setembro no CBBB_São Paulo
Sempre aos sábados, às 16h
Praça do Patriarca – grátis

Bixiga 70 – Balboa da Silva

BaianaSystem – Barravenida

24/08/2012

Quadrinhos de Liverpool

Filed under: Dicas,Geral,Música — Gabriel Kernnuak Farias @ 20:41
Tags: , , , , , , ,

Seguramente, os Beatles representam para a música aquilo que Shakespeare representa para a literatura. Sua obra, compreendida em um período de dez anos, é densa e plural: dos ie-ie-iês do Cavern Club e jaquetas de couro (muito antes de serem encontrados por Brian Epstein e ganharem ternos e Ringo Starr) à psicodelia e à profundidade de álbuns como Revolver e Sgt. Peppers Lonely Hearts Club Band, a banda explorou todas as vertentes do rock – quiçá da música popular – de sua época. Mais do que isso: o quarteto de Liverpool foi um fenômeno que até então não tinha precedentes na história da música. Angariou uma legião de fãs e destacou-se por seu comportamento estético e rebeldia para definitivamente fincar seus pés na Abbey Road e no imaginário coletivo como ícones da cultura pop.

Mais de meio século passado após o início da banda (e no ano em que o single de Love Me Do, marco inicial da formação clássica do grupo, diga-se, completa 50 anos) é lançado o livro Beatles In Comic Strips. Idealizado por Enzo Gentile, jornalista e crítico musical, e Fabio Schiavo, detentor de um vasto arquivo de cartoons relacionados ao quarteto, o livro se propõe a apresentar cerca de duzentos quadrinhos relacionados ao grupo: dos mais populares aos mais raros e inacessíveis, dos mais antigos e obscuros aos mais recentes e difundidos, produzidos em quaisquer dos quatro cantos do mundo. Em algumas histórias a banda é protagonista; em outras é apenas citada e ainda há casos em que as próprias canções da banda são transportadas para o papel, enquanto os traços substituem o som da guitarra que consagrou o grupo. O livro encontra-se disponível no site da Amazon.

17/08/2012

Páginas alteradas

Filed under: Dicas,Geral — Gabriel Kernnuak Farias @ 21:29

 

Primeiramente apanhe um livro em um sebo de sua preferência. Depois, pratique livremente a obliteração que, a essa altura, quase transforma-se em obliteratura: apague, acrescente, acentue ou atenue. Todo código é moldável e todo canal é perfeito quando existe uma mensagem para ser transmitida.

Essa é a proposta do projeto Altered Books do logolalia.com. Lá você encontra uma coletânea de obras concebidas a partir do processo de obliteração. Visualmente convidativos, os poemas são uma exploração simples e sublime da interatividade que reserva o livro de papel. Que tal?

Para visualizar mais obras, visite o site do projeto.

08/08/2012

Ela voltou!

Filed under: Dicas,Eventos,Geral — Gabriel Kernnuak Farias @ 02:53
Tags: , ,

 

Ela dispensa apresentações, embora os bibliófilos reservem inúmeros predicados cheios de ternura para descrevê-la. Na próxima quinta-feira (9) terá início a 22ª Bienal do Livro de São Paulo, que acontece no Pavilhão de Exposições do Anhembi. Abrigando cerca de 480 expositores num espaço de 60 mil m², a Bienal espera receber cerca de 800 mil visitantes para a edição desse ano, que conta com convidados ilustres como Marcelo Tas, Ruth Rocha, Miguel Nicolelis, Fernando Henrique Cardoso entre outros.

História

Realizada pela primeira vez em parceria com o Museu de Arte de São Paulo no ano de 1961, a Bienal do Livro de São Paulo passou por várias alterações até que chegasse ao seu formato atual. Criada com o intuito de introduzir no país a tradição europeia das feiras de livro, as primeiras edições do evento tiveram cerca de 80 mil visitantes e um número aproximado de 700 expositores. Desde então, esteve em constante mudança para abrigar um público crescente e fiel: organizada pela primeira vez no edifício da Bienal de Arte, mudou-se para o Expo Center Norte em 1996. Ainda esteve no Centro de Exposições Imigrantes por um curto período de tempo – de 2002 a 2006 – até chegar ao Anhembi, maior centro de exposições da América Latina, local onde é realizada até os dias de hoje.

22ª BIENAL DO LIVRO DE SÃO PAULO
De 9 a 19 de Agosto de 2012
Pavilhão de Exposições do Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209 – Santana – CEP 02012-021 São Paulo – SP

Horário de Visitação:
de 09 a 18 de agosto, das 10h às 22h
dia 19 de agosto, das 10h às 20h, com entrada até as 18h

Mais informações no site do evento.

17/07/2012

Morte e Vida Severina

Filed under: Dicas,Geral — Gabriel Kernnuak Farias @ 02:10
Tags: , , ,

João Cabral de Melo Neto uniu as pontas entre a morte e a vida, fim e começo, ao publicar em 1955 uma das obras mais importantes da literatura brasileira. Morte e Vida Severina é paradoxal desde o princípio: ao unir final e princípio da vida, também reúne outros extremos e expõe com certo lirismo todo o sofrimento existente na “vida severina”.

Miguel Falcão tirou a obra da imaginação e passou para o papel, dando traços à seca nordestina e aos retirantes que fogem da estiagem e buscam melhores condições de vida. Pelas mãos da escola de audiovisual OZI nasce uma das animações mais legais que eu já encontrei no Youtube. Vale a visita.

04/07/2012

A nata da literatura

Filed under: Dicas,Geral — Gabriel Kernnuak Farias @ 16:24

Começa hoje às 19 horas a 10ª edição da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip). Em uma década, a festa rompeu as barreiras da “discussão literária para críticos e escritores” e caiu nas graças do grande público consumidor e apreciador da literatura. Reconhecida pela presença de nomes laureados e temas pertinentes em suas bancadas de discussão – a edição de 2011 contou com o neurocientista Miguel Nicolelis e o filósofo Luiz Felipe Pondé debatendo questões confluentes às suas áreas de pesquisa, por exemplo – a Flip completa uma década em 2012 homenageando o poeta Carlos Drummond de Andrade e conta com Ian McEwan, Jennifer Egan, Fabrício Carpinejar, Angeli, Laerte entre outros convidados.

A programação completa do evento você encontra aqui.

Haverá transmissão ao vivo no site oficial da Flip 2012.

G.K.F.

Letras UFABC.

03/07/2012

Hora de cair na estrada

Filed under: Cinema,Dicas,Geral — Gabriel Kernnuak Farias @ 00:37
Tags: , , ,

É dada a hora. No próximo dia 13 estreará no Brasil a adaptação cinematográfica de On The Road. Título indispensável da bibliografia beat – quiçá da bibliografia do século XX, dado o grande impacto que causou após o seu lançamento, extrapolando os limites da crítica literária -, a obra é dirigida pelo brasileiro Walter Salles e conta com Kristen Stewart, Garrett Hedlund e Sam Riley em seu elenco.

Mais do que um evento simbólico marcado pela primeira exibição de uma peça audiovisual, a estréia de On The Road representa o reconhecimento à grandeza do livro que captou o espírito de seu tempo para disseminá-lo em cerca de 320 páginas marcadas pela prosa espontânea (que, a bem da verdade, não era tão espontânea assim: ante infindáveis recusas do mercado editorial, Jack Kerouac viu-se forçado a recortar e recriar várias vezes a sua própria obra, além de adicionar “montes de vírgulas inúteis”) e um fluxo de consciência batizado pelo poeta Lawrence Ferlinghetti como “febre onívora da observação”.

Uma vez lançado, em setembro de 1957, On The Road deflagrou o movimento beat do qual Jack Kerouac involuntariamente se tornou avatar. Fugia, contudo, do fardo que isso representava ao passo que a obra se tornava uma espécie de livro-prisão, atraindo para si uma quantidade enorme de estereótipos e chavões que não lhe pertenciam. Imediatamente após a publicação, Jack foi acusado pela revista Time de “estar dando fundamento à explosiva juventude que, de um canto ao outro do país, se agrupa em torno de jukeboxes e se envolve em arruaças sem motivo em plena madrugada”. Aquela voz não era a única. David Dempsey, então articulista do The New York Times, também atacava a obra. Após fazer suas ressalvas – sim, On The Road era “altamente legível e divertido”, Dempsey pontuava que o livro “não tinha uma moldura mais ampla dentro da qual seus personagens pudessem se desenvolver” além de exibir um ponto de vista neutro ante “tanto sexo, adultério e abuso de drogas”.

Mais do que conteúdo de imagens chocantes demais para a já não tão inocente década de 50, On The Road também acabou se transformando em influência direta para tudo o que veio depois no que diz respeito à arte e à cultura yankee. Fortemente influenciado pela estrada de Kerouac, Bob Dylan logo poria o pé na sua própria Highway 61 Revisited, também abençoado e amaldiçoado pela crítica, recebendo as mesmas glórias e padecendo dos mesmos males de Jack. Em seguida outros tantos leitores da obra seriam afetados profundamente pela mensagem de Kerouac: Jim Morrison fundou o The Doors ao ler On The Road; Hector Babenco fugiu de casa ao ler On The Road; Beck fundiu rap, folk e poesia beat após ler On The Road. O legado da obra é tamanho que é de se espantar que o filme tenha tardado tanto – ainda que isso possa ser mais uma artimanha do destino em tornar a adaptação cinematográfica do livro tão tortuosa quanto as estradas percorridas por Dean Moriarty e Sal Paradise, main characters e alter-egos de Neal Cassady e Jack Kerouac, respectivamente.

Ainda que o legado da obra tenha sobrevivido até os dias atuais, Jack Kerouac não teve a mesma sorte. Morreu em 21 de outubro de 1969 aos 47 anos, alcoólatra, barrigudo, morando na casa de sua mãe (com quem morou a vida inteira) e cansado de explicar o significado da expressão “beat” com hipérboles que irritavam os jornalistas e só reforçavam a mística existente ao redor da obra. Há quem atribua o fim de Jack Kerouac ao referido legado, num clássico episódio no qual criador definha em favor de sua criatura. É fato que o livro tenha lhe conferido um merecido prestígio além do dinheiro que tanto precisava, contrariando suas expectativas de que “a única coisa que estaria pronta para aceitá-lo era a morte”. Em todo caso, Kerouac viveu como o escritor mais solitário da América, mas não o menos brilhante. Resta saber se o filme estará à altura.

19/01/2012

Pague quanto acha que vale!

Nessa linda manhã de quinta-feira, 19 de Janeiro (quando voltam os episódios da 5ª temporada de The Big Bang Theory), indo trabalhar, deparei-me com uma vending machine muito curiosa na estação Consolação da Linha Verde do Metrô, em São Paulo. Era uma máquina de vender livros com a seguinte proposta:

São máquinas recheadas de livros em que você insere cédulas e independentemente do quanto você colocar, é só apertar o número referente ao livro que você quer e TCHUM, ela te dá o livro! Logo se vê que não é uma vending machine qualquer! É uma intervenção cultural com o intuito de estimular a leitura das massas.

Creio que alguns vão querer pagar o quanto ‘quiser’, a despeito do custo do livro; outros vão tentar saber ‘quanto vale’ de fato e pagar por isso. No fim das contas, todos saem ganhando, cultural e financeiramente falando, pois ler é um hábito que agrega muito valor à vida de uma pessoa. O dono da máquina vai ganhar em quantidade, pois há um momento na vida em que ler passa de hábito a mania. E quem lê, enriquece-se culturalmente, e isso não tem preço.

Fiquei olhando por uns bons 3 minutos para a máquina, para todas as indicações escritas nela. Que ideia simples, fantástica! Achei relatos do teste da máquina no site Observador Político. Descobri então que após pegar seu livro, vem a surpresa: você descobre o quanto ele realmente vale!

O projeto é da 24×7 Cultural e as máquinas podem ser encontradas em diversas estações do Metrô de São Paulo:

ESTAÇÃO SÉ

  • 1 máquina no mesanino à direita

SENTIDO À LINHA VERMELHA

  • 1 máquina no sentido Barra Funda Esquerda
  • 2  máquinas no sentido Barra Funda D1

SENTIDO À LINHA VERDE

  • 1 máquina no sentido Tucuruvi esquerda
  • 1 máquina no sentido Jabaquara direita
  • 2 máquinas no sentido Jabaquara esquerda

ANHANGABAÚ

  • 1 máquina no acesso à plataforma

BARRA FUNDA

  • 2 máquinas próximo à bilheteria
  • 1  máquina sentido CPTM

LUZ

  • 1 máquina sentido CPTM

CONSOLAÇÃO

  • 3 máquinas na plataforma

TRIANON MASP

  • 1 máquina na plataforma

BRIGADEIRO

  • 1 máquina na plataforma

Até mais!

Ana

Letras UFABC

11/01/2012

Terror no Museu da Imagem e Som

Filed under: Cinema,Dicas,Eventos,Geral — Letras UFABC @ 18:07
Tags: , , , , , , , , , ,

Dica do Bruno, diretamente do site do MIS para aqueles que sentem falta do Noitão do Belas Artes (ou não)!

No dia 13 de janeiro o MIS promove uma programação especial para os amantes de filmes de terror. Serão exibidos três títulos consagrados do cinema de horror durante toda a noite.

A programação inicia-se com a exibição de Alucardos – Retrato de um vampiro (Ulises Guzmán, 90’, 2010 – ganhador do prêmio de melhor filme e direção no 6º Cinefantasy), seguido de À meia-noite levarei sua alma (José Mojica Marins, 81’, 1964) e Alucarda, La hija de lãs tinieblas (Juan López Moctezuma, 85’, 1978).

Sobre os filmes:

ALUCARDOS – RETRATO DE UM VAMPIRO
Documentário, Horror, México, 2010, 90’
Direção: Ulises Guzmán
Elenco: Alessandra Moctezuma, Manolo Duran, Tina Romero, Juan Carlos Colombo, Christina Mason, Jorge Ayala Blanco, Luis Romano, Liliana Ortiz Durán, Lalo Casares, Eduardo Moreno, Carlos Monsiváis, Óscar Olivares, Alexis Arroyo, Juan López Moctezuma.
Manolo e Lalo, obcecados pelo filme mexicano Alucarda, dedicam-se a procurar pelo diretor do filme, Juan López Moctezuma, até eles tropeçarem com ele em um hospital psiquiátrico. Depois de sequestrar o diretor e fazê-lo lembrar de seu passado, o diretor recobra sua lucidez e faz deles os guardiões de seu trabalho. No meio de uma atmosfera que vai do maravilhoso e mágico do cinema ao hospício… a obsessão vai ao limite.

À MEIA-NOITE LEVAREI SUA ALMA
Ficção, Horror, São Paulo, Brasil, 1963, P&B, 81’
Direção: José Mojica Marins
Elenco: José Mojica Marins, Magda Mei, Nivaldo de Lima, Ilídio Martins
O cruel e sádico coveiro Zé do Caixão, temido e odiado pelos moradores de uma cidadezinha do interior está obcecado em conseguir gerar o filho perfeito, aquele que possa dar continuidade ao seu sangue. A sua mulher não consegue engravidar e ele acredita que a namorada do seu melhor amigo é a mulher ideal que procura. Violada por Zé do Caixão, a moça quer cometer suicídio para regressar do mundo dos mortos e levar a alma daquele que a violou.

ALUCARDA, LA HIJA DE LAS TINIEBLAS
Ficção, Horror, México, 1978, 85’
Direção: Juan López Moctezuma
Elenco: Tina Romero, Claudio Brook, Susana Kamini
Uma jovem chega a um convento após a morte de seus pais, fato que marca o início de uma série de eventos que liberta uma presença maligna na garota e na sua misteriosa nova amiga, uma enigmática figura conhecida como Alucarda.

 

Ingressos à venda na Recepção MIS ou através do site: www.ingressorapido.com.br

Dia: sexta-feira 13 (Janeiro)

Local: auditório do MIS

Horário: a partir das 23h

Preço: R$ 6,00 (desconto de 50% para estudantes)

Como chegar: http://www.mis-sp.org.br/comovisitar

Boa diversão e olhem por onde andam!

Ana

Letras UFABC

24/09/2011

Dicas – Blog da Lola

Filed under: Dicas — Letras UFABC @ 13:26
Tags: , , , , , , ,

Olá, tudo bem com vocês? Hoje vou dar uma big dica de leitura pra todos.

Lola Aronovich é responsável por escrever os textos mais fantásticos da blogosfera brasileira. E talvez ela seja modesta ao falar sobre isso, mas creio que se você os ler, terá certeza de que eu tenho razão!

A Lola é feminista e só por esse motivo já enfrentou muito preconceito ao lutar pelos direitos d@s mulheres e das minorias oprimidas ao longo de sua vida e é possível que esteja enfrentando preconceito de você que está lendo esse texto agora apenas por eu ter mencionado a palavra feminista.

Há textos que te fazem refletir nada, um pouco ou muito, a ponto de repensar seus conceitos ou pelo menos prestar mais atenção a eles. Os textos da Lola são todos dessa última categoria. Ela fala mesmo! Ela cutuca a ferida, escreve em claras letras coisas que permanecem subliminares no nosso dia-a-dia. E ela não faz isso para provocar intriga, briga, polêmica, etc, a Lola escreve fatos e difunde, a cada post, valores que nossa sociedade deveria ter e não tem, difunde palavras que não passam despercebidas pelo simples fato de se parecerem muito com a realidade.

Ela fala principalmente das diversas dificuldades que todas @s mulheres encontram para serem cidadãs respeitadas atualmente e, ao contrário do que muitos pensam, não só as mulheres devem refletir sobre isso. Eles devem ser ponderados por todos para que consigamos viver melhor e com menos injustiças.

Adicionalmente, ela escreve sobre um monte de outras coisas também, como críticas de filmes. Ela também tem um twitter ativo no qual ela, inclusive, conversa com seus leitores. O legal é que ela costuma responder aos comentários do blog também; cada post tem um montão de comentários, ou seja, o assunto não acaba no fim do post!

Clique nos links para conferir

BLOG DA LOLA

TWITTER DA LOLA

Até mais!

Ana

Letras UFABC

01/03/2011

Noitão do Belas Artes – Março/2011

Olá! Como estão?

Você conhece o Noitão do Belas Artes?

Toda segunda sexta-feira do mês no Cinema Belas Artes ocorre uma madrugada de filmes! Com início às 23:50h da sexta-feira e término às 6:00h do sábado, aproximadamente, o público presente pode desfrutar de 3 sessões de filmes, sorteios de brindes e um lanchinho no café da manhã!

Como muitos devem saber, o cinema vai fechar em breve, caso os proprietários não consigam negociar o valor do aluguel com o dono do imóvel. Então essa pode ser a última vez que você tem a chance de participar de um evento tão ímpar da cidade de São Paulo no lugar onde ocorre atualmente.

A programação para o mês de  março é a seguinte:

FILMES: Os inéditos ‘Caminho da Liberdade’ e ‘Mistério da Rua 7’ e as reprises ‘Os Famosos e os Duendes da Morte’ e ‘Eu Me Chamo Elisabeth’. Um filme-surpresa completará a programação.

DIA: 04 de Março, sexta-feira

HORÁRIO: A partir das 23h50min

INGRESSO PARA O NOITÃO: R$ 20,00 (estudantes pagam meia-entrada)

*Dica: não deixe para comprar o ingresso na última hora, pois correrá forte risco de ficar sem!

ENDEREÇO: Belas Artes – Rua da Consolação, 2423

TEL.: (11) 3258-4092

Fichas Técnicas:

“Caminho da Liberdade”


Título original: The Way Back

Lançamento: 2010 (EUA)

Direção: Peter Weir

Atores: Colin Farrel, Dragos Bucur, Ed Harris

Duração: 133 minutos

Gênero: Drama

Sinopse: Em 1940, pegos pelo regime stalinista, sete prisioneiros aproveitam-se da nevasca para fugir de Gulag Soviético. A liberdade desses homens tem um preço: ele tem poucas chances de chegarem a um lugar seguro sem serem pegos novamente e correm risco de morte.

Trailer

“Mistério da Rua 7”


Título original: Vanishing on 7th Street

Lançamento: 2010 (EUA)

Direção: Brad Anderson

Atores: Hayden Christensen, Thandie Newton, John Leguizamo, Jacob Latimore

Gênero: Terror

Sinopse: A cidade de Detroit está no escuro, graças a um apagão. A população some e a situação de abandono é evidente. Um grupo de pessoas que não se conhecem é o único sinal de sobrevivência. Eles, então, decidem se proteger em uma taberna abandonada, quando percebem que a escuridão fora do esconderijo está pronta para atacá-los e a única chance de ficar seguro é colocando fim às fontes de luz.

Trailer

“Os Famosos e os Duendes da Morte”


Título original: Os Famosos e os Duendes da Morte

Lançamento: 2009 (Brasil/França)

Direção: Esmir Filho

Atores: Henrique Larré, Ismael Caneppele, Tuane Eggers, Samuel Reginatto

Duração: 101 minutos

Gênero: Drama

Sinopse: Um garoto de 16 anos, fã de Bob Dylan, tem acesso ao restante do mundo apenas por meio da internet, enquanto vê os dias passarem em uma pequena cidade rural de colonização alemã, no sul do Brasil. Mas uma figura misteriosa o faz mergulhar em lembranças e num mundo além da realidade.

Trailer

“Eu me chamo Elisabeth”


Título original: Je m’appelle Elisabeth

Lançamento: 2006 (França)

Direção: Jean-Pierre Améris

Atores: Alba Gaïa Kraghede Bellugi, Stéphane Freiss, Maria de Medeiros

Gênero: Drama

Sinopse: Elisabeth (Alba Gaïa Kraghede Bellugi) tem dez anos e, nos anos 1940, vive no interior da França com seus pais, em fase de separação, e uma empregada que quase não fala. Ela se sente solitária, com medo do escuro e fantasmas. Quando um jovem desconhecido, fugitivo de uma clínica, aparece em seu quintal, ela o esconde numa cabana nos fundos da casa, passando a protegê-lo e a tratá-lo como confidente e melhor amigo.

Trailer

 

Imperdível a programação, não? Vemo-nos lá!

Ana

Letras UFABC

*Fontes: Comunidade Noitão Belas Artes, Interfilmes

03/02/2011

Programação Cultural – Bibliotecas

Filed under: Dicas,Diversão,Encontros,Geral — dihmasc @ 19:08

28/11/2010

3º Concurso de Minicontos do Estronho e Esquésito

Filed under: Dicas,Promoções — Letras UFABC @ 00:56
Tags: , , , , , , ,

Olá, como vão?

Essa dica é da Jeniffer Frossard sobre um concurso de minicontos que acontecerá em janeiro no site Estronho e Esquésito:

O concurso ocorrerá para comemorar os 15 anos de vida do site. O regulamento será lançado no final de dezembro no site do Estronho e Esquésito.

O primeiro lugar levará todos os lançamentos de 2011 da Editora Estronho e Esquésito para casa! O tema será: Baile de Debutantes.

Portanto, exercite-se e aguarde o regulamento!

Ana

Letras UFABC

26/11/2010

Vira Cultura

Filed under: Dicas,Diversão — Bruno, o Vento @ 19:17
Tags:

Olá a todos!

Acontece nesse fim de semana a 3ª Vira Cultura.


Começando às 9h da manhã do Sábado (27/11) e indo até as 8h da noite do Domingo (28/11) serão horas e mais horas de entretenimento, diversão e cultura.

O evento é realizado no mega espaço ocupado pela Livraria Cultura, no prédio do Conjunto Nacional(Av. Paulista, 2073; muito próximo (muito mesmo) da Estação Consolação do Metrô). Haverá espaço para o lançamento de livros,um sarau, palestras sobre os mais diversos assuntos, exposições de fotos, shows, exibição de filmes, e muito mais.

E quanto custa essa enxurrada de Cultura??? Absolutamente nada!! Exatamente, todas as atrações são de graça, vocês só precisam chegar uma hora antes (pelo menos) do evento que quiser assistir e retirar uma senha.

Para mais informações e para visualizar a programação acessem: VIRACULTURA

Divirtam-se!

Cultura devia ser sempre de graça, e em grande quantidade!

 

Bruno

Letras UFABC

Próxima Página »

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: